Sobre froisbhz

Turismólogo - Educador Social Mestrando e doutorando em Estudos do Lazer - UFMG Presidente da Obra Kolping de Minas Gerais Militantes de movimentos sociais populares em Belo Horizonte.

Prefeitura Libera Verba para Obras Que já deveriam estar prontas

A Prefeitura de Belo Horizonte, liberou semana na passada, verbas para execução obras que já deveriam estar prontas desde o final de 2010. Na Prática se elas ficarem prontas até o final de 2013  –  como tem sido a média, elas terão sido executadas com três anos de atraso. Cinco anos depois de aprovadas pelas comunidades.

Noroeste

· Reforma da Escola Municipal Nossa Senhora do Amparo – Inclui melhorias no refeitório, cozinha, despensas, vestiários e sanitários, salas de aula e dos professores, coordenação, diretoria, secretaria e novo sanitário, biblioteca, sala de alfabetização e laboratório de informática. Ampliação, que consiste em pátio descoberto com arquibancadas e vagas de estacionamento para funcionários. Valor: R$ 2.673.383,90.

· Serviços na rua Atílio Turci – Trecho entre ruas Lourdinha César Santos e Conceição P. Ferreira, no bairro Caiçara, receberá obras de terraplenagem, contenção em cortina atirantada, rede tubular de drenagem, recomposição do pavimento asfáltico e sinalização. Valor: R$ 1.069.731,70.

· Construção do BH Cidadania Vila São José – Na avenida João XXIII, s/nº, terá dois pavimentos com telecentro, salas de artes e oficinas, vestiários masculino e feminino, sala multiuso, sala para atendimento familiar e individual, cozinha, auditórios, quadra poliesportiva, anfiteatro e estacionamento. Valor: R$ 2.220.312,98.

· Urbanização das ruas São Cosme, Guaporema e Délio Vieira Salomon – Intervenção inclui terraplenagem, contenção em concreto armado, rede tubular de drenagem, pavimentação asfáltica, obras complementares e sinalização. Valor: R$ 2.451.000.

· Obra na Escola Municipal Júlia Paraíso – Na rua Tiês, no bairro Alípio de Melo, inclui ampliação de 360 metros quadrados do local, reforma, construção de novas salas e biblioteca. Valor: R$ 1.997.969,29.

· Urbanização na Vila Santo Antônio (Barroquinha) – Obra a partir da rua Ocidental, com extensão aproximada de 100 metros. Valor: R$ 717.284,74.

· Implantação de parque ecológico – Na Vila Santo Antônio (Barroquinha), com tratamento da área verde remanescente onde será implantando o Parque Propam. Valor: R$ 717.284,74.

· Urbanização da Vila Jardim Alvorada – Na rua Flor de Ameixa II, entre as ruas VP-18 e Flor de Pequi. Valor: R$ 942.261,71.

VEREADORES E COMUNIDADE BUSCAM GARANTIR UPA DO GLÓRIA

Do Site da Câmara Municipal – Quarta-feira, 21 Março, 2012

984

Moradores e parlamentares vão buscar alternativas para garantir a construção da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no bairro Glória, na Regional Noroeste, a única entre as nove do município que ainda não possui um centro de urgência e emergência do tipo. O tema foi debatido nesta quarta-feira (21/3) em audiência pública da Comissão de Saúde e Saneamento da Câmara Municipal, a requerimento da vereadora Neusinha Santos (PT). A obra, que foi aprovada no Orçamento Participativo de 2008 (OP), deveria ser iniciada em setembro de 2011, mas o processo foi paralisado após o valor de desapropriação do terreno ser dobrado, chegando a R$ 8 milhões.  

O projeto inicial aprovado no OP previa orçamento de R$ 4,5 milhões para construir a UPA em uma área de 4,6 mil metros quadrados. Segundo a arquiteta da Divisão de Projetos da Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap), Renata Moraes, o espaço não seria suficiente para comportar a tendência atual de se construir UPA’s de porte maior. Além disso, cerca de 30% dessa área ficou comprometida por causa da reserva de espaço que se tornou necessária, com a perspectiva de alargamento de uma das avenidas para as obras do Programa de Estrutura Viária de Belo Horizonte (Viurbs).

Com a revisão do projeto, a área total a ser desapropriada passou a ser de aproximadamente 7 mil m2, incluindo espaço para prédio, estacionamento e um percentual de 30% de terreno permeável. De acordo com a gerente da Divisão de Projetos da Sudecap, Lizana Sampier, a Prefeitura dispõe de apenas de R$ 3 milhões para desapropriação, além de R$ 3,6 milhões de recursos próprios para obra e R$ 1,95 milhões de transferência do governo federal.

“O que são R$ 8 milhões para atender a saúde de uma população pobre de 200 mil pessoas na região?”, questionou Neusinha Santos. A vereadora lembrou o processo de mobilização da comunidade para aprovar o projeto da UPA do bairro Glória no OP, que chegou a reunir 6 mil pessoas. Os moradores precisam recorrer à UPA da Regional Pampulha e ao Hospital Odilon Behrens, o que dificulta o atendimento em caso de urgência e emergência.

Durante a audiência, o líder comunitário Joaquim José leu um ofício enviado pela Sudecap em 1991, informando que a área onde poderá ser implantada a UPA do Glória já teria sido desapropriada. “Estão querendo desapropriar um terreno que já é da PBH pagando R$ 8 milhões”, criticou. As representantes da Sudecap informaram que levarão o ofício para análise do setor jurídico da autarquia.

Obra necessária

A secretária municipal adjunta de Saúde, Suzana Rates, reconheceu a necessidade de construção de uma UPA na Regional Noroeste. Atualmente, segundo ela, o Odilon Behrens conta com um serviço de pronto atendimento que recebe 580 pacientes por dia, sendo 75% da Regional Noroeste. No entanto, ela destacou que o espaço é limitado.

Entre os encaminhamentos da audiência, a vereadora Neusinha Santos anunciou que fará uma visita técnica ao local junto com os moradores e representantes da Secretaria Municipal de Saúde a fim de avaliar outras áreas que poderiam sediar a UPA no bairro.

Além disso, a vereadora solicitou à representante da Regional Noroeste, Lucy Conceição Caldeira Ferraz, que sejam fiscalizados os alvarás e títulos de propriedade dos terrenos cuja ocupação poderia estar irregular.

Também participaram da reunião a gerente de Urgência e Emergência da Secretaria Municipal de Saúde, Paula Martins, o membro da Conforça da Regional Noroeste, Ivanir José Vitor Maciel, e o presidente da Comunidade Kolping Padre Teodoro da Vila Belém Rafael Frois.

Superintendência de Comunicação Institucional

http://www.cmbh.mg.gov.br/noticias/2012-03/vereadores-e-comunidade-buscam-garantir-upa-do-gloria

PBH libera verba de Obras de 2008 e ofusca os verdadeiros Problemas do O.P.

Terça-feira dia 20 de Março, recebo uma mensagem da COMFORÇA MUNICIPAL me convidando para um evento no dia seguinte pela manhã (21/03), onde o Prefeito Márcio Lacerda, assinaria a liberação de verba para execução de Obras do Orçamento Participativo.

Já esperava a convocação uma vez que nos aproximamos da Abertura do O.P. 2013/14. E é nesta época que é anunciado a execução das obras para motivar as lideranças a participarem do “processo participativo”.

O evento mobiliza as lideranças comunitárias a participarem do O.P. Estar no “processo participativo” significa mobilizar pessoas em prol de uma causa. E ao mobilizarem estas lideranças se tornam referências em suas comunidades. Em ano eleitoral vale pessoas que sabem mobilizar valem ouro. Algumas tem clara ciência disto e o fazem pensando em possíveis cargos e/ou emprego na eleição. Outros chegaram de para quedas e serão cooptados pelo sistema. Mas será que o O.P. se resume a isto? Comparando BH com outras capitais temos avanços. Mas processo do O.P. Ainda tem muito que ser aprimorado. Basta comparar BH com a região metropolitana.

Mas voltando a questão da convocação em cima da hora, e claro e evidente que ela era para ofuscar a audiência pública da na Câmara Municipal que discutiria os verdadeiros problemas do O.P. O mais grave deles a especulação imobiliária e a incompetência técnica da PBH de se posicionar enquanto ESTADO e ser maior que as coorporações que especulam terra apreço de ouro na Capital.

A Noticia Boa do Dia foi que finalmente saíra do papel a urbanização da Rua São Cosme no Bairro Novo Glória. Lembrando que o anuncio é para instigar a mobilização. Dúvido que saia do papel antes de 10 meses. Tardará mas não irá falhar!! Parabens Rua São Cosme por não abandonar a luta!!

O Fusca e o Rio

Terça-Feira dia 29 de Dezembro de 2009. São 19:00h, estou super empolgado voltando tranquilamente do trabalho com meu fusca 68 recém comprado quando uma chuva forte me pega no alto da Avenida Abílio Machado – Regional Noroeste de BH.

Ela foi engrossando, engrossando, até ficar impraticável seguir adiante. Resolvo então para o carro e ligar o pisca alerta “paguei pau mesmo” de seguir mas uma meia dúzia de motorista fizeram o mesmo. A chuva deu uma reduzida e animei continuar descendo. Chegando na altura do supermercado EPA percebi que havia menos carro na avenida. Não animei atravesar o semáforo. Entravessei o estacionamento do EPA e vi uma coisa inédita – “para mim” O encontro da Avenida Brigadeiro com a Amintas Jaques virou um Rio – Alias o rio existe, só que debaixo das avenidas. Desliguei o carro sem ter como atravessar e fiquei ali parado olhando meio assustado, meio deslubrado com o poder da natureza quando de repende o rio começou a subir e tive que sair “vazado” . Subi a  Abilio Machado, dei a volta no Longo quarteirão e sair na Brigadeiro esquina com Damasco – Me deparei com o Rio Novamente.

Esperei a chuva parar e fui na casa de um amigo que mora na Amintas Jaques e fiquei assutado. A agua havia invadido a casa dele. E segundo seus familiares isto acontece há décadas todo vez que tem uma chuva forte. Mas o que mais me assuta  é que a Prefeitura sabe que acontece a enchurrada, sabe que tudo inunda e não resolve o problema. Colocou até placas para orientar os motoristas a fugirem do Rio. Absurdo!!!!! E Mês que vem tem IPTU. Cadê a Associação do Bairro? Cadê os parlamentares que se dizem reprsentantes da Região? Cadê os técnicos da PBH?

Postado direto da casa do Eber (Bilico)

O que vc Pensa disto?

Orçamento Participativo Digital 2011 – VOTE: Implantação do Parque Vila Barroquinha

Convidamos a comunidade a votar no Orçamento Participativo Digital, na obra que poderá retirar 60 famílias da Área de Risco da Vila Barroquinha – Agora na Regional Pampulha.

No Orçamento Participativo de 2006, quando aprovamos a Área de Esporte e Lazer do Bairro São Salvador – Obra em andamento, garantimos R$ 287.000,00 para urbanização da Vila, em 2008 R$ 418.000,00, e em 2010 R$ 200.000,00 totalizando quase 1 Milhão de Reais de investimentos.

Como a área onde a Vila esta localizada é de Interesse ambiental, do Programa de Recuperação da Bacia da Pampulha, não é possível urbanizá-la. Assim, o recurso aprovado, só pode ser gasto para indenizar as famílias desapropriadas. Ele garantiu a desapropriação de 24 famílias, e este ano a Prefeitura já iniciou as negociações com a comunidade.

Se conseguimos vencer a Obra de Implantação do Parque Vila Barroquinha, garantiremos recursos para retirar todas as 60 famílias da área de risco.

A votação do Orçamento Participativo Digital é feita somente pela Internet no endereço opdigital2011.pbh.gov.br, até o dia 11 de Dezembro. Para votar basta ter o título e eleitor de Belo Horizonte. Lembrando que a Barroquinha agora pertence a Regional Pampulha.

As pessoas que não tem acesso a internet podem procurar a Kolping  Vila Belém ou a Kolping Casa Brasil para votar. 

Clique aqui e Vote

Jovens Matando Jovens. O que Fazer?

Apesar de não esta localizado em uma área prioritária para inclusão Social, e nem pertencer a território dos Centros de Referência da Assistência Social – CRAS. O Bairro São Salvador e Glória, assim como diversos outros bairros populares da cidade, tem diversos problemas sociais. Este final de semana ficamos todos chocados com os Jovens matando outros jovens, O que Fazer?

Video – Fonte: You Tube e Rede Globo Minas