O Bairro São Salvador Existe?

Enviado Por Rafael Frois

O bairro São Salvador existe? É São Salvador ou Coqueiros?

Esta semana um comentário aqui no blog causou uma grande “rebuliço’ sobre a existência do bairro São Salvador, que no inicio da década de 80 passou a ser “chamado” de Coqueiros.

Me deparei com esta mesma questão quando em 2006/07 estava desenvolvendo um pesquisa financiada pela FAPEMIG, que tinha por objetivo resgatar a história do bairro. Como não havia registro documental sobre a história, usei como método de coleta de dados a história oral, ou seja conversando com os moradores fundadores do bairro.

Ressaca

Esta região toda era chamada de Ressaca. Tudo da Praça São Vicente para baixo era chamada de região do Ressaca, por causa do encontro das águas dos córregos Coqueiros com o Córrego Glória (Brigadeiro com  Amintas Jaques). Essa e a versão de uma das moradoras entrevistadas, que na epoca tinha 90 anos. Mas tarde esse nome foi fortalecido por causa de um clube que se chama Balneario da Ressaca. muito Frequentado pela Elite de Belo Horizonte.

Coqueiros

Coqueiros era o nome de uma fazenda muito grande aqui da Região. Apos a morte do dono seus herdeiros ficaram cada um com um pedaço, surgindo as Vilas Belém, São Salvador e São Sebastião. Inclusive o Nome da Associação do bairro remete a isto. PROSSEBEME – Associação Pró-Desenvolvimento das Vilas Reunidas de São Salvador,.Belém e Maria Emilia.

Na Década de 80 como foi comentado por várias pessoas, Padre Teodoro organizou um movimento para regulamentar o bairro. Não houve consenso na hora escolher qual seria o nome do bairro então deram o nome da fazenda. E ficou Coqueiros. Muita gente não gostou e um extenso pedaço continuou sendo chamado de São Salvador.

Para a Prefeitura – Prodabel – Empresa de Informática  informação de Belo Horizonte, existem dois bairros: O Bairro Oficial e o Bairro Popular.

O Oficial é aquele que existe no mapa que orienta as politicas e os serviços, e o Bairro Popular aquele esta no imaginário popular. Aquele que dá sentido ao lugar. O pedaço onde os moradores se sentem pertencentes.

A Prefeitura no final da década de 90, parou de se orientar pelos limites oficias e hoje se orienta pelo limite popular.  A fundação João Pinheiro fez uma pesquisa para mapear os bairros a partir do imaginário do morador. E por esta pesquisa  o bairro São Salvador esta muito vivo, ele começa na Rua Eneida e vai até na Abílio Machado – Porção do lado de cá da Aminas Jaques (lado da Paróquia Santo Antônio).

Se fomos a fundo veremos que a igreja católica exerceu uma influência significativa neste mapa do imaginário popular, uma vez que ele coincide com a divisão das Paróquias Santo Antônio e Nossa Senhora da Glória. Exemplo o outro lado da Amintas Jaques que pertence a Paróquia do Glória também era São Salvador mas lá todo mundo se considera morador do Glória. Inclusive a Associação do Bairro (PROSEBEME) se intitula associação do Glória.

É importante deixar claro que a partir do momento que um determinado grupo se sente pertencente a um lugar eles cuidam do pedaço. Quando entramos no Orçamento Participativo em 2004 ninguem na regional conhecia o bairro São Salvador, nem as lideranças nem os gestores públicos era como o Bairro Frei Eustáquio ali perto do Ipanema. Hoje a história é Outra.

Uma dos motivações para existência deste blog é que ele seja um instrumento para construção da memória coletiva. Sim! O bairro São Salvador Existe!!

Espero ter contribuindo. Se vc sabe mais coisas deixe um comentário e ajude estudantes, pesquisadores e interessados n história/memória de nossa região.

oooooooh é o São Salvador!!!

Minha Opnião sobre o novo Centro Saúde

Enviada por Sawel Peres

Nesta edição do OP o bairro São Salvador juntamente com a comissão de organização do OP do bairro que mesmo desanimada com atraso da PBH com execução de obras ganhas em OP anteriores se mostra com vontade de solicitar uma outra obra via OP, e até vejo que delegados e parceiros tratam essa demanda não por uma questão de melhorar o bairro e sim de mostrar para PBH que mesmo com seu descaso para conosco nos mostramos fortes e vamos lutar por mais uma mega obra.

Nesta edição as coisas estão se direcionando para o pedido de um posto de Saúde que é urgente na região e tivemos o surgimento de uma pessoa no Coqueiros que esta tomando frente do assunto chamada “Fernando” não conheço nada desta pessoa que já vem de cara intitulando o posto de saudade como Posto de Saúde Coqueiros, posto este que não atende os moradores do São Salvador no local que esta sendo direcionado. Lembro que a parceria vitoriosa que temos no OP já dura 6 anos conseguimos aprovar os maiores recursos de BH para uma região totalmente desfavorecida por falta de investimentos da PBH. Em conversas com pessoas que entendem do assunto em relação posto de saúde na região fica claro que não necessitamos de um posto de saudade no coqueiros e sim uma realocação de moradores da região, com a construção do posto de saúde no São Salvador que vai desafogar o posto de saúde do Gloria possibilitando que a comunidade do Coqueiros seja muito bem atendida no mesmo juntamente com os que já são bem atendidos no Pindorama bairro que faz divisa com Coqueiros.

Eu como morador e membro da conforma estou aqui meramente externando minha opinião, deixo bem claro que não aceito e não apoio o posto de saúde intitulado posto Coqueiros. O posto devido a real necessidade da região deve ser no Bairro São Salvador, se não venhamos ter um acordo por parte dos bairros vamos fazer nossa candidatura contraria ao Coqueiros mostrando nossa força que não é de uma semana mais sim de 6 anos e deve ser respeitada.

Solicito as lideranças que entrem nessa discussão para chegarmos em uma definição que deve ter intuito único e exclusivo o bem estar da comunidade. Hoje as 19h no posto de saude Gloria estaremos discutindo esse assunto.

Informo que não estou atacando pessoas e ou causando uma desconjuntara na harmonia dos bairros através deste e-mail e sim alertando para real necessidade da região.

Temos que ser apartidários e pensar no melhor para comunidade… Sintam-se à-vontade para encaminhar este e-mail a quem interesse este assunto. Somos fortes e não estamos aqui para ser coadjuvantes de história que nos construímos de forma aguerrida ao longo de 6 anos. Sawel Peres de Assis