O Fusca e o Rio

Terça-Feira dia 29 de Dezembro de 2009. São 19:00h, estou super empolgado voltando tranquilamente do trabalho com meu fusca 68 recém comprado quando uma chuva forte me pega no alto da Avenida Abílio Machado – Regional Noroeste de BH.

Ela foi engrossando, engrossando, até ficar impraticável seguir adiante. Resolvo então para o carro e ligar o pisca alerta “paguei pau mesmo” de seguir mas uma meia dúzia de motorista fizeram o mesmo. A chuva deu uma reduzida e animei continuar descendo. Chegando na altura do supermercado EPA percebi que havia menos carro na avenida. Não animei atravesar o semáforo. Entravessei o estacionamento do EPA e vi uma coisa inédita – “para mim” O encontro da Avenida Brigadeiro com a Amintas Jaques virou um Rio – Alias o rio existe, só que debaixo das avenidas. Desliguei o carro sem ter como atravessar e fiquei ali parado olhando meio assustado, meio deslubrado com o poder da natureza quando de repende o rio começou a subir e tive que sair “vazado” . Subi a  Abilio Machado, dei a volta no Longo quarteirão e sair na Brigadeiro esquina com Damasco – Me deparei com o Rio Novamente.

Esperei a chuva parar e fui na casa de um amigo que mora na Amintas Jaques e fiquei assutado. A agua havia invadido a casa dele. E segundo seus familiares isto acontece há décadas todo vez que tem uma chuva forte. Mas o que mais me assuta  é que a Prefeitura sabe que acontece a enchurrada, sabe que tudo inunda e não resolve o problema. Colocou até placas para orientar os motoristas a fugirem do Rio. Absurdo!!!!! E Mês que vem tem IPTU. Cadê a Associação do Bairro? Cadê os parlamentares que se dizem reprsentantes da Região? Cadê os técnicos da PBH?

Postado direto da casa do Eber (Bilico)

O que vc Pensa disto?

Minha Opnião sobre o novo Centro Saúde

Enviada por Sawel Peres

Nesta edição do OP o bairro São Salvador juntamente com a comissão de organização do OP do bairro que mesmo desanimada com atraso da PBH com execução de obras ganhas em OP anteriores se mostra com vontade de solicitar uma outra obra via OP, e até vejo que delegados e parceiros tratam essa demanda não por uma questão de melhorar o bairro e sim de mostrar para PBH que mesmo com seu descaso para conosco nos mostramos fortes e vamos lutar por mais uma mega obra.

Nesta edição as coisas estão se direcionando para o pedido de um posto de Saúde que é urgente na região e tivemos o surgimento de uma pessoa no Coqueiros que esta tomando frente do assunto chamada “Fernando” não conheço nada desta pessoa que já vem de cara intitulando o posto de saudade como Posto de Saúde Coqueiros, posto este que não atende os moradores do São Salvador no local que esta sendo direcionado. Lembro que a parceria vitoriosa que temos no OP já dura 6 anos conseguimos aprovar os maiores recursos de BH para uma região totalmente desfavorecida por falta de investimentos da PBH. Em conversas com pessoas que entendem do assunto em relação posto de saúde na região fica claro que não necessitamos de um posto de saudade no coqueiros e sim uma realocação de moradores da região, com a construção do posto de saúde no São Salvador que vai desafogar o posto de saúde do Gloria possibilitando que a comunidade do Coqueiros seja muito bem atendida no mesmo juntamente com os que já são bem atendidos no Pindorama bairro que faz divisa com Coqueiros.

Eu como morador e membro da conforma estou aqui meramente externando minha opinião, deixo bem claro que não aceito e não apoio o posto de saúde intitulado posto Coqueiros. O posto devido a real necessidade da região deve ser no Bairro São Salvador, se não venhamos ter um acordo por parte dos bairros vamos fazer nossa candidatura contraria ao Coqueiros mostrando nossa força que não é de uma semana mais sim de 6 anos e deve ser respeitada.

Solicito as lideranças que entrem nessa discussão para chegarmos em uma definição que deve ter intuito único e exclusivo o bem estar da comunidade. Hoje as 19h no posto de saude Gloria estaremos discutindo esse assunto.

Informo que não estou atacando pessoas e ou causando uma desconjuntara na harmonia dos bairros através deste e-mail e sim alertando para real necessidade da região.

Temos que ser apartidários e pensar no melhor para comunidade… Sintam-se à-vontade para encaminhar este e-mail a quem interesse este assunto. Somos fortes e não estamos aqui para ser coadjuvantes de história que nos construímos de forma aguerrida ao longo de 6 anos. Sawel Peres de Assis

O Fusca e o Rio

Terça-Feira dia 29 de Dezembro. São 19:00h, estou super empolgado voltando tranquilamente do trabalho com meu fusca 68 recém comprado quando uma chuva forte me pega no alto da Avenida Abílio Machado – Regional Noroeste de BH.

Ela foi engrossando, engrossando, até ficar impraticável seguir adiante. Resolvo então para o carro e ligar o pisca alerta “paguei pau mesmo” de seguir mas uma meia dúzia de motorista fizeram o mesmo. A chuva deu uma reduzida e animei continuar descendo. Chegando na altura do supermercado EPA percebi que havia menos carro na avenida. Não animei atravesar o semáforo. Entravessei o estacionamento do EPA e vi uma coisa inédita – “para mim” O encontro da Avenida Brigadeiro com a Amintas Jaques virou um Rio – Alias o rio existe, só que debaixo das avenidas. Desliguei o carro sem ter como atravessar e fiquei ali parado olhando meio assustado, meio deslubrado com o poder da natureza quando de repende o rio começou a subir e tive que sair “vazado” . Subi a  Abilio Machado, dei a volta no Longo quarteirão e sair na Brigadeiro esquina com Damasco – Me deparei com o Rio Novamente.

Esperei a chuva parar e fui na casa de um amigo que mora na Amintas Jaques e fiquei assutado. A agua havia invadido a casa dele. E segundo seus familiares isto acontece há décadas todo vez que tem uma chuva forte. Mas o que mais me assuta  é que a Prefeitura sabe que acontece a enchurrada, sabe que tudo inunda e não resolve o problema. Colocou até placas para orientar os motoristas a fugirem do Rio. Absurdo!!!!! E Mês que vem tem IPTU. Cadê a Associação do Bairro? Cadê os parlamentares que se dizem reprsentantes da Região? Cadê os técnicos da PBH?

Postado direto da casa do Eber (Bilico)

O que vc Pensa disto?

Emancipação da região da Ressaca

Enviado Por Sergio ArifaAblio_Machado1981

Caros Colegas,

A região Noroeste de Belo Horizonte é a maior da Cidade segundo o Censo Demográfico do IBGE, realizado em 2000. São quase 340 mil habitantes distribuídos em 49 bairros, em uma área de 38,21 quilômetros quadrados. Nessa regional estão alguns dos maiores corredores de circulação de tráfego da cidade: as avenidas Pedro II, Antônio Carlos, Abílio Machado, Tereza Cristina e Juscelino Kubitschek, a “Via Expressa”. Essa regional suporta ainda o trânsito oriunda das regiões vizinhas e do município de Contagem.

A região do Ressaca abrange bairros como Coqueiros, Glória, Frei Eustáquio, Primavera, Álvaro Camargos, Califórnia, Conjunto Califórnia, Conjunto Califórnia Dois, Alto dos Pinheiros, Santa Maria, Camargos, Pindorama, Filadélfia, Inconfidência, Ipanema, Alípio de Melo, São José, Conjunto Celso Machado, Serrano, Conjunto Itacolomi, Jardim Montanhez, Jardim Alvorada, Dom Bosco e São Salvador. Esta região antes pertencente ao município de Contagem, era ligada à Capital por uma estrada chamada “Estrada Velha da Ressaca” e “Rua Contagem”, respectivamente Av. Abilio Machado e Rua Padre Eustáquio como são conhecidas hoje.

A foto em anexo mostra a Av. Abílio Machado em 1981, ano em que nasci, 28 anos atrás, porém com o mesmo engarrafamento que temos hoje e onde conterrâneos nossos passam 40 minutos de seus dias. O que mudou com o passar dos tempos? A região foi simplesmente esquecida por nossas autoridades. Morávamos a 20 minutos do Centro e hoje com menos de 1 hora não se chega à sede municipal. Estamos cada vez mais distantes enquanto que bairros, principalmente da regional Norte e Venda Nova estão a cada dia mais próximo. Somos obrigados a nos espremer em um gargalo chamado Pça. São Vicente e assistimos o Governo do Estado e a PBH gastar horrores na Antonio Carlos e Cristiano Machado, esquecendo que existe belorizontinos e mineiros na Região da Ressaca. A Zona Norte conta com dois excelentes corredores, Antonio Carlos e Cristiano Machado, com três estação BH-bus, Venda Nova, Vilarinho e São Gabriel, além de ter em seu quadro de opções a ÚNICA linha de metrô de Minas Gerais. Tais acontecimentos geraram um quadro de exclusão tão grande, que a valorização de bairros como Floramar, Jardim Guanabara e até Serra Verde, localizados geograficamente mais afastados do hipercentro, foram de longe muito maior que a da Ressaca.

A mobilidade urbana é unanimidade para qualquer um que more na regional noroeste ou quem nela tenha que passar. Prova foi o ultimo OP digital, onde a obra mais votada foi a que visa melhoria no trecho do anel rodoviário com a praça São Vicente. Porém assistimos agora o engavetamento da obra e a licitação do Portal Sul, segunda colocada no mesmo OP, a plenos pulmões. Assistimos também, a PBH e o Governo do Estado, cogitarem melhorias na mobilidade da Cidade com vistas à Copa de 2014 (metrô Mineirão Savassi, melhorias na Antonio Carlos, etc.), porém, novamente excluindo a Noroeste (e Ressaca) das benéces.

Minha proposta é a EMANCIPAÇÃO ou desmembramento da Região. Talvez se nos emanciparmos ou nos tornarmos um Estado, tenhamos condições de melhorar as nossas condições, se não a viária, ao menos não teremos que ir ao centro de belo horizonte para estudar, retirar documentos, contratar serviços, fazer compras, pagar IPTU, IPVA, ISSQN, TFS, TFL, TFSL, TFL, TSC, TFS, TFV, TFA, TFO, TOLP, TECE, ITBI, Taxa de Fiscalização Judiciária, Taxa de Controle e Fiscalização Ambiental do Estado de Minas Gerais (TFAMG), Taxa Florestal, TFDR, TRLAV, Taxa de Incêndio, Renovação de CNH, Iluminaçã Pública, CEMIG, COPASA, Estacionamento Rotativo.

Vamos pensar um pouco?!!!!!!!